quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Romance astral

     Recebi uma solicitação de auxílio bastante curiosa onde uma mulher afirmava ter encontrado seu grande amor e que ambos viviam uma linda paixão. Só que além de estarem separados por uma imensa distância fisicamente, eles nem se conhecem.



     O caso é o seguinte, segundo a consulente:  
     "Há quatro anos eu fui despertada para uma lembrança de vida passada. Tive antes, um sonho que me avisou sobre como ia ser. Por "acaso", tomei conhecimento do trabalho de um músico estrangeiro, do qual eu nunca havia ouvido falar. Assim que o vi no DVD, foi quase que imediato, a sensação de já conhecer aquele homem, uma emoção absurda, sem explicação...Comecei então, a tentar um contato com ele. Consegui o endereço e comecei a enviar cartas que ele nunca respondeu, mas uma médium muito poderosa que conheço foi até ele astralmente e viu que ele lia as cartas com muita emoção.
     Pedi a ela que me levasse até ele em astral e então comecei a interagir com ele amorosamente! Um dia eu pedi a ela que tentasse se comunicar com ele no astral para saber porque ele não respondia as cartas, evitava contato comigo. Quando ela fez isso, o que se apresentou foi uma personalidade egípcia dele que contou a ela a natureza da nossa ligação que, já vem de 3.200 anos  a.C.
     Até agora eu não compreendia como podia ser isso, a personalidade daquela época se manifestar assim como se fosse um espirito independente da personalidade atual dele. Enfim, muitas coisas aconteceram entre nós no astral e com o tempo chegamos a entender que esse egípcio queria mesmo era se vingar de mim, pelo fato de eu tê-lo traído em vidas passadas." 
     Quando verificamos a situação no astral inicialmente o médium captou uma energia muito negativa, muito densa, que lhe causou uma dor aguda muito forte, tendo ele inclusive que tomar um remédio para dor.
     
     O ritual de vampirização

     Numa floresta sombria, uma pequena elevação de pedra numa clareira se destaca: é um altar de sacrifícios. Deitado nesse altar e amarrado encontramos um homem e duas bruxas que estavam se "aproveitando" dele para saciar seus apetites sexuais. O homem inclusive está já bastante enfraquecido energeticamente e em conseguência dessa vampirização que está sofrendo por parte das duas mulheres, pode estar tendo algum problema de saúde em seu corpo físico.
     As duas bruxas são na vida atual a consulente e a tal "médium poderosa". A vítima do tal ritual é mesmo o tal músico pelo qual ela diz ter se apaixonado. Todos os três encontram-se em desdobramento inconsciente na dimensão astral.
     Então, de fato, ela tem se encontrado com ele no astral e fazem sexo, só que não é exatamente da maneira que ela imagina e, ao menos que ele tenha algum fetiche masoquista, não creio que ele permaneceria ali se pudesse se libertar.
     O procedimento padrão adotado por nós nesses casos é libertar os espíritos, apagar essa frequência de sua mente inconsciente ativa e reacoplá-los em seus corpos físicos, em resumo, fechar a frequência.

     Conectados através do tempo

     Realmente estes dois espíritos estão conectados através do tempo, a consulente e o tal músico. Captamos uma vida passada onde eles se encontraram e tiveram um pequeno affair.
     Era uma época muito antiga onde tribos bárbaras lutavam entre si e a tribo da consulente, que era uma mulher guerreira e líder de tribo, venceu a tribo do tal músico numa batalha, uma disputa por alguma coisa. Embora não fossem inimigas, as tribos disputavam eventualmente alguma coisa disputando no campo de batalha.
     Na ocasião a consulente humilhou o tal músico, que era o líder da outra tribo, perante seus comandados. O guerreiro vencido não esqueceu a humilhação e anos mais tarde, num acampamento, conseguiu seduzir a tal mulher e quando estavam a sós, ele a matou e saiu triunfante da tenda onde estavam segurando a cabeça dela pelos cabelos.
     Foi por tê-la matado naquela vida que ele gerou um karma que permitiu que na vida atual estivesse sendo vampirizado no astral por ela e a outra mulher.

     O parceiro oculto

     Apesar do karma do tal músico permitir que ele sofra um pouco nessa vida, não foi apenas isso que o manteve preso durante anos no astral pela dupla de bruxas. 
     A tal "médium poderosa" tinha um pacto com um demônio sexual e era ele quem usufruía da maior parte da energia retirada do tal músico.
     Esse demônio de uns dois metros de altura tinha a pele escura, grandes chifres enrolados, cascos ao invés de pés e um rabo comprido. Ele estava ligado por um fio energético à consulente e à "médium poderosa" e através dessa ligação ele as vampiriza tbm.
     A tal médium serve de ponte para esse demônio vampirizar sexualmente várias mulheres iludidas com romances astrais, entre outras.
     Prendemos esse demônio e libertamos as pessoas ligadas a ele e que tbm eram vampirizadas, entre elas a consulente e a "médium poderosa".

     Conclusão

     A consulente viveu um falso romance astral durante quatro anos, iludida por uma "médium poderosa" e por sua própria necessidade de viver uma aventura apaixonante, uma fuga da monotonia de uma vida comum.
     Antigas companheiras de bruxaria onde praticavam magia negra sexual se reencontram após várias vidas e as teias do destino tecem o enredo onde agora elas é quem são as vítimas da vampirização.
     Fazer sexo no astral é muito comum pq a grande maioria das pessoas não tem uma vida sexual satisfatória aqui na dimensão física e no astral dá vazão a seus instintos e desejos reprimidos. Se juntarmos a isso alguma mediunidade ao nosso já comprometido karma, o que acontece invariavelmente é que acabamos sendo vampirizados no astral por demônios sexuais, criaturas das trevas especializadas em extrair energia sexual dos encarnados.
     Nesse caso era um "empreendimento privado", ou seja, apenas um demônio administrando suas posses, mas o mais comum é as pessoas se relacionarem em locais no astral como boates, bares, bordéis, etc. 
     Numa comparação grosseira, mas que pode ilustrar bem como funciona, é como se vc pegasse uma pessoa que adora jogar cartas com os amigos, canastra ou pife por exemplo, a troco de uma cerveja ou um real, e largar o cara num cassino de Las Vegas com crédito ilimitado.
     Entidades das trevas criam no astral verdadeiros resorts de luxo para onde somos atraídos facilmente, criam paraísos onde existe tudo que gostamos e que desejamos ter, não apenas mulheres/homens bonitas e desejáveis, mas carros esportivos, bolsas de grife, jóias, dinheiro, enfim, criam situações imaginárias onde nossos desejos podem se realizar, a fim de roubar nossa energia enquanto estamos extasiados nesses locais.



Gelson Celistre
     
   
     


Nenhum comentário:

Postar um comentário