segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

A iniciação



     Há vários meses recebi um livro de presente de uma das médiuns que trabalha comigo mas por falta de tempo não pude iniciar sua leitura. Como agora terminaram as aulas da faculdade consegui um tempo livre e resolvi ler o tal livro. O nome do livro é Iniciação e a autora é uma mulher chamada Elisabeth Haich (1897-1994). O livro foi escrito em forma de romance mas seria uma espécie de autobiografia da autora, que fundou a primeira escola de ioga na Europa após a Segunda Guerra Mundial e era tida como líder espiritual por um grande número de seguidores.



     A autora era uma pessoa especial, segundo ela mesma. Desde tenra idade ela pensava e sentia de modo diferente de seus familiares, tinha visões de fadas e gnomos, sonhos premonitórios, sentia-se "longe" de seu "verdadeiro" lar, lembranças de vidas passadas, escutava vozes lhe dando orientações, ninguém lhe entendia, etc. 

     Em conversa com a médium que me presenteou o livro, propus a ela que verificássemos onde estaria agora a autora do livro. Como ela morreu em 1994, poderia estar em algum lugar no astral ou já ter reencarnado. Fazemos esse tipo de rastreamento comumente em nossos trabalhos quando necessário e não exige nenhum preparo especial. A médium concordou e dei um comando a ela para que fosse aonde estava a tal escritora.

     Em seguida ao comando de rastreamento a médium começou a descrever o lugar que estava vendo:
Eu vejo um lugar que me parece ser no astralparece um tipo de templo mas não é um templo comum, parece ser feito de uma energia meio que azulada e é bem diferente dos prédios que eu já vi no astral. Vejo tipo que o contorno do templo em linhas de uma energia azulada, de um branco meio azulado mas esses contornos parecem irradiar algum tipo de energia na direção central das linhas formando algo como se fosse um tipo de parede. É bem complicado de descrever pq eu vejo o contorno e sinto que tenha algo no centro, mas algo que não é visível como se fossem paredes que não permitem ver o interior do templo, mais elas não são visíveis.
Ok, disse a ela, procure ver se tem alguém nesse templo.
Certo. Vejo agora uma mulher se aproximando de mim vestida com uma túnica clara, os cabelos são escuros e ela é desencarnada. Está se aproximando de mim e me convidando a entrar no templo e tipo que através de mim ela já viu vc também. Estou perguntando quem é ela e e que lugar é esse mas ela continua tipo que me conduzindo para mais dentro do tal templo e começou agora a me dizer que nesse lugar muitos espíritos que trabalharam com algum tipo de magia no passado vem para serem preparados para voltarem a matéria, vem para trabalharem certos conhecimentos que adquiriram no passado e que irão ter a possibilidade, a chance de usar aqui assim como nós fazemos aqui. A mulher está me dizendo que já passamos por alguns lugares bem parecidos com esse em momentos intervidas. Estou  perguntando quem é ela e pq está me dizendo tais coisas e ela está sorrindo e me dizendo que está apenas respondendo questionamentos que eu fiz, que fomos nós quem viemos até aqui atrás dela, então que por certo sabemos quem ela é... Ela está dizendo que enquanto aguarda um novo momento de voltar tem estado aqui trabalhando com os responsáveis por esse lugar e ao mesmo tempo também se preparando. Estou perguntando a ela pq escreveu o livro enquanto esteve aqui, qual foi o propósito, e se as coisas narradas no livro realmente foram da maneira como ela escreveu. Ela está me dizendo que quando escreveu o livro, mesmo estando no físico, ela já vinha a esse lugar e que um dos espíritos que são responsáveis pelo lugar permitiu que ela o escrevesse, tentando com isso despertar espíritos para que pudessem vir também a esse lugartanto como encarnados, como depois de desencarnados também e disse que o livro foi escrito de uma maneira que não consegue atingir pessoas que não estivessem preparadas, por isso muitas pessoas acham uma leitura de difícil compreensão e não conseguem terminar o livro, por mais que tentem. Ela está me dizendo que já presenciei isso várias vezes e que o intuito ao escrever o livro não foi o de que ele ficasse "famoso" e sim que conseguisse realmente "despertar" espíritos que possam estar nesse lugar ou em outros semelhantes a este.
Ok. Me localize ai nesse templo (me desdobrei e me projetei ao local onde a médium estava na dimensão astral).
Bem, estou vendo vc agora com a aparência de hoje e ela está te dando boas vindas e está dizendo a vc que já se encontraram em um outro lugar semelhante a esse, onde vc esteve pouco tempo depois que se foi do Egito. Quando viveu no Egito vc foi se reunir a alguns discípulos seus em um lugar semelhante a esse, iniciados.  Ela está dizendo aqui que vc não foi das trevas em todas as suas vidas do Egito e que vc teve um vasto conhecimento e poder em todas elas. Mas na sua última vc foi um sumo sacerdote e iniciou vários sacerdotes...

     Muito interessante a história mas minha intuição me dizia que apesar de a médium não estar sentindo nada de negativo e de o local parecer estar numa região astralina mais elevada, não era o que parecia. O que a mulher falou sobre algumas de minhas vidas no Egito confere, pois de fato temos conhecimento de algumas dessas vidas e foi mais ou menos assim como ela disse. Entretanto, com afirmações aparetemente inocentes e despropositais, sutilmente a mulher tenta despertar nossa vaidade, tanto a minha como a da médium.
     Sem mencionar a aparência maravilhosa do templo que a médium mal conseguiu descrever, podemos observar como ela descreve o local para onde vão espíritos que trabalharam com magia para aprimorar seus conhecimentos para depois te a chance de usar aqui assim como nós fazemos aqui, ou seja, ela se colocando como um ser especial, com uma missão, assim como nós tbm, e tbm dizendo que nós já passamos por alguns lugares bem parecidos com esse em momentos intervidas. 
     Estas afirmações tem a finalidade de despertar nossa vaidade, para acharmos que somos seres elevados espiritualmente há várias vidas, assim como ela. Quando fala do livro ela afirma que foi escrito para que possa "despertar" espíritos que possam estar nesse lugar ou em outros semelhantes a este, outra tentativa de nos fazer sentir especiais, atiçando nosso ego. Até ai ela falava com a médium, mas quando eu cheguei ela tentou logo me bajular dizendo que já nos encontramos no Egito, que eu nem sempre fui das trevas, mas que sempre tive muito conhecimento e poder nessas vidas, etc. Juntou  a isso algumas palavras indicando que sabia algo de minhas vidas no Egito para tentar dar um ar de veracidade.
     Logo depois dela terminar de falar eu disse a médium para se aproximar de mim lá no templo, a fim de emitirmos uma irradiação luminosa bastante intensa, o que ocorreu logo em seguida. Imediatamente a médium ouviu mentalmente o seguinte: "- Mesmo que encontrem esse lugar ela jamais sairá daqui!
     Pedi à médium que desse um choque na testa do que seria a tal mulher e quando ela fez isso a imagem se desmanchou. Era um ser artificial criado através de magia e não o espírito da mulher realmente. Surgiu então uma sobra escura, com asas, dizendo à médium em tom ameaçador que saísse logo dali e que ela (a escritora) não sairia dali. Prendemos essa sombra numa bolha e ela se desfez numa gosma disforme pois tbm era um artificial.
     De repente uma energia muito forte começou a tentar nos expulsar do templo, como se fosse uma repulsão magnética. Não tinha um ponto de origem definido mas era como se nos atraísse para fora. Enquanto isso, essa energia tentava despertar vidas passadas nossas no antigo Egito onde fomos das trevas, inclusive modificando nossa aparência, com a finalidade de criar alguma ressonância e baixar nossa frequência vibratória, para nos enfraquecer.
     Usando nossa energia destruímos o templo que a médium estava vendo e o local se mostrou como realmente era. As paredes de uma energia branco-azulada meio transparente na verdade eram de energias escuras e densas. Num local desse lugar sombrio, a médium avistou três mulheres, todas desencarnadas, presas numa bolha energética. Essas três mulheres pertenceram a uma mesma ordem mística numa vida passada estavam aprisionadas por um poderoso mago. Uma delas era a escritora que rastreávamos, a Elisabeth Haich. Das outras duas uma foi bastante conhecida por tbm ter sido escritora, e co-fundadora da Sociedade Teosófica, Helena Petrovna Blavatsky, ou Madame Blavastky.
Helena Petrovna Blavatsky, ou Madame Blavatsky,
foi co-fundadora da Sociedade Teosófica, em 1875.
     A princípio a médium ficou chocada, não só por encontrar ali a escritora que admirava, Elisabeth Haich, como tbm por encontrar outra figura bastante conhecida no meio esotérico, Madame Blavatsky. Disse à médium para libertar as mulheres e criar uma proteção ao redor delas e enquanto ela fazia isso, novamente a voz lhe falava mentalmente: "- Cadê seu protetor? Vai precisar dele..."
     Logo em seguida a médium se viu paralisada e presa numa bolha, envolta por uma energia em foram de fumaça negra. O ser que lhe fala mentalmente queria a presença de um outro membro de nossa equipe, um mago que costumamos chamar de Petrus, e que é uma supraconsciência minha, uma reunião de várias frequências ligadas a magia. Essa supraconsciência é quem costuma dirigir nossos trabalhos no astral, é uma espécie de síntese de várias vidas passadas minhas.
     Para forçar o aparecimento de Petrus o ser invocou um animal, uma esfinge, um ser com corpo de leão, asas, e cabeça humana, muito grande, quase do tamanho da Esfinge de Gizé, no Egito. O animal veio em minha direção, a frequência minha que estava lá como eu sou hoje e lançou sobre mim uma energia que me paralisou. O mago então disse à médium:
"- Será que teu protetor te abandonou aqui à própria sorte? Se ele não vier vc nunca sairá daqui! Não devia ter vindo!"
     Logo em seguida Petrus apareceu. Dirigiu-se até as três mulheres e jogou uma energia na testa delas, no chacra do terceiro olho, para tirá-las do transe em que estavam. Depois ele jogou outra energia sobre a esfinge, que se transformou numa estátua de pedra (era um artificial tbm). Minhas duas frequências lá então se fundiram numa só e fiquei desdobrado lá apenas como Petrus.
     O mago que havia aprisionado as três mulheres e que criara os artificiais para nos atacar então apareceu levitando no local. Ele carregava um cetro dourado em forma de serpente e com ele disparou uma energia na nossa direção, mas nos esquivamos e o desarmamos. Da testa desse mago então saiu uma energia em forma de ondas que foi redirecionada para ele, que ao ser atingido cambaleou e caiu no chão. Ele se levantou e tentou atacar Petrus "fisicamente" praguejando em algum idioma desconhecido, mas foi paralisado e preso. Esse mago era muito poderoso e por conta da ligação que teve com essas três mulheres ele conseguiu aprisioná-las.
     No passado remoto já pertencemos a uma mesma ordem de magos aqui na dimensão física: eu, a médium e esse mago. Como ela tinha mais poder do que ele, esse mago tentou por diversos meios expulsá-la da ordem, mas quem acabou sendo expulso foi ele. Em minha última encarnação no Antigo Egito, eu fui sumo-sacerdote e uma das sacerdotisas que iniciei foi a Elizabeth. Por conta dessa ligação cármica entre nós não foi difícil encontrar e resgatar as mulheres e aprisionar o mago, que será exilado.
     A Elizabeth vai passar por um tratamento e depois vai receber a oportunidade de trabalhar com nossa equipe no astral, justamente por ter sido iniciada por nós no Antigo Egito e ter conhecimentos de magia, apesar de em sua ultima encarnação ter se deixado levar pela vaidade, coisa que acontece com todos nós eventualmente.
     Nem sempre alguém que teve projeção ou fama aqui na dimensão física faz jus ao poder que imaginamos que essa pessoa tenha. Quem acha que por ter sido isso ou aquilo no passado é um ser mais evoluído espiritualmente está se iludindo, pois todos nós que ainda reencarnamos aqui na Terra estamos aqui por necessidade, por provação, e não como "missionários" para guiar os outros.
     Vários grandes mestres já encarnaram aqui e nos legaram msgs de como superar as adversidades e atingir a iluminação ou bem-aventurança. Se seguirmos o caminho indicado por esses mestres, como Jesus e Budha, conseguiremos atingir um estado espiritual que nos faculte estagiar em locais mais evoluídos. 
     Não existem atalhos para o paraíso, somente com o trabalho árduo sobre nosso ego e com o domínio de nossas emoções inferiores é que conseguiremos superar essa etapa evolutiva aqui na Terra. 
     

Gelson Celistre

8 comentários:

  1. Olá Gelson,
    Li com bastante interesse esse post, e ficou-me umas dúvidas: se e como está escrito: "Esse mago era muito poderoso e por conta da ligação que teve com essas três mulheres ele conseguiu aprisioná-las", faço então um relevo "...por conta da ligação..." como fica então a Blavastky e a Fraternidade Branca? e todos esses Mestres Ascencionados?
    Grata pela resposta,
    Anabela

    ResponderExcluir
  2. Oi Anabela,
    Apesar dela ter escrito muito sobre a fraternidade branca e os tais mestres ascencionados ela não era um membro da tal fraternidade e tbm não acredito que ela tivesse realmente contato com algum mestre ascencionado, e se teve não foi o suficiente para eliminar o karma dela.
    Tanto a Blavastky como a Elisabeth usaram de magia negra no passado e tinham karma nessa área que foi manipulado pelo tal mago, que tbm tinha relação kármica com ela. Muitas das interpretações que ela fez na teosofia estavam equivocadas, como a questão dos "cascões astrais".
    Tbm temos Krishnamurti, que o pessoal da Sociedade Teosófica acreditava que seria um "messias", o isntrutor do mundo, e que tbm se engaram.
    Ter alguns conhecimentos sobre magia e sobre a história oculta da Terra, sobre o que ocorre no astral e tal não nos torna melhores do que somos, nos torna apenas mais bem informados e conhecimento não é sinônimo de elevação espiritual.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gelson,
      Obg pela resposta. E aí também concordo, estar "desperto" não nos torna melhores que A ou B mas ajuda na caminhada :)

      Abraço na Luz
      Anabela

      Excluir
  3. Olá Gelson, acho os seus relatos impressionantes e de tempos em tempos me sinto atraída a lê-los. Fico imaginando se algum dia eu conseguir fazer uma projeção consciênte (e me lembrar de tudo ao retornar), com o que vou me deparar no plano astral... Fico me perguntando como eu reagiria diante de seres malignos e de formas pensamento que você descreve, se acaso eu visse algo igual. Você já sentiu medo alguma vez? Como você controla esse sentimento?
    Abraço,
    Cláudia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cláudia,

      Eu náo tenho mediunidade de vidência. Nos atendimentos eu me desdobro e costumo atuar no astral com uma supraconsciência, uma espécie de superego, e os médiuns com quem trabalho é que relatam o que eu faço lá. É algo difícil de compreender para a maioria das pessoas mas é muito comum eu estar preso numa frequência e eu mesmo ir lá e me libertar em outra.
      Quanto ao medo, eu fui um ser das trevas por tanto tempo, e já passei em vidas passadas por tanta coisa de ruim que acho que nada do que algum outro ser tente fazer para me assustar seria novidade pra mim.
      Abraço.

      Excluir
  4. No livro "O fim da Escuridão - reurbanização extrafísicas" pelo espírito Ângelo Inácio do Robson Pinheiro, editado em abril de 2012. Na página 106 consta o seguinte: "Chico Xavier e Allan Kardec - dois dos maiores representantes do espírito da Verdade -, conversavam sobre o futuro da mensagem de renovação espiritual no mundo, na companhia de gente como Irmã Dulce, Menininha do Gantois, W. W. da Matta e Silva, Gandhi, Tolstói, Victor Hugo, Annie Besant, Helena Blavatsky, Gabriel Delanne, Marta Figner..." Como Helena Blavastsky pode está presa no astral se ela estava numa "conferência" segundo o referido livro de espíritos ilustres pra trabalhar em prol do mundo? O livro foi editado em abril de 2012, logo isso ocorreu bem antes antes de dessa data, seu relato é do dia 10/12/2013.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Guilherme, é interessante isso.Tecnicamente é possivel que fosse apenas alguma frequência onde ela estivesse desdobrada mas náo creio nisso. Interessante tbm é que nos livros do Dr.Inácio ele afirma que Chico e Kardec eram o mesmo espírito... quem está certo?
      Sinceramente afirmações desse tipo, que várias pessoas conhecidas aqui no meio espírita e de épocas diferentes estivessem reunidas em algum local, me parece que é para dar credibilidade à alguma coisa.
      Eu sei que muitas vezes quem realmente resolve os problemas no mundo espiritual sao espiritos que as pessoas aqui nem conhecem e muitas que elas pensam ser seres muito elevados náo são tudo isso.
      Cabe a cada um acreditar naquilo que mais se coaduna com as suas convicções. Eu fico com o que eu verifico com meu grupo.
      Abraço.

      Excluir
  5. Eu era o maior fã da Teosofia, li alguns poucos livros A Doutrina Secreta 6 volumes, entre outros, gostei bastante da A Chave da Teosofia, e adorei Madame Blavastky, mas saber que todo o conhecimento que ela e muitos entendidos no assunto não os livraram de serem presos, é um grande impacto, até porque nos serve de lição em muitos aspectos, e leio bastante, e isso, também pode me aprisionar, como o amigo lá encima lê muitos livros de Robson Pinheiro pois se tudo aquilo for para vender livros, e a história lá ser muito fantasiosa, pode sim nos aprisionar no astral e sermos levados para alguma freqûência sabe-se lá não muito boa, e isso não porque em vida atual somos bons, altruístas, seres altamente benevolentes mostrando boa índole como os padres, freiras, etc.., opa, retiro o que disse do padre, melhor deixar só a freira como benevolente...rsrsrs..., mas somos presos por termos carmas sérios e os individuos do astral nos manipulam através daí, e não porque sabemos muito mais de espiritualidade do que outros..., isso acredito. Comigo aconteceu de ficar preso no astral não com livros, mas assistindo vídeos do youtube e pulando de canais em canais procurando me informar sobre et's, a melhor forma de despertar, de se melhorar com mantras etc..., depois q me vi lá, sem chance, a prisão foi um alerta para párar de buscar isso em internet, fico só no blog do Gelson e já basta, cortei qualquer vínculo com vídeos do youtube.

    ResponderExcluir