domingo, 22 de julho de 2012

Vampiros

     Numa vida passada a consulente era praticante de magia e ocultismo e se aliou a um grupo de vampiros no astral, para quem ela fornecia as vítimas. Ela atraía a seduzia pessoas para que seus amigos vampiros se alimentassem delas. Os vampiros geralmente agem como nos filmes, com a diferença de que fazem isso na dimensão astral. Porém, como suas vítimas estão encarnadas, os vampiros lhes roubam o ectoplasma (energia vital), podendo em muitos casos levar essas pessoas à morte ou ao desenvolvimento de doenças degenerativas.


     A consulente foi aliada desse grupo de vampiros durante toda aquela existência e já passando da meia idade, quando não conseguia mais atrair as pessoas para seus vampiros, eles passaram a vampirizar ela mesmo, levando-a ao óbito. No astral a consulente se juntou ao grupo de vampiros e passou a agir com eles, vampirizando pessoas encarnadas.
     No astral ela procurou por alguém encarnado que pudesse agir como ela, conseguindo vítimas para ela os demais vampiros, e encontrou um homem, o qual ela influenciou e aliciou para esse fim, tendo ele servido igualmente ao grupo de vampiros até morrer. Este homem na vida atual é pai da consulente.
     Quando efetuamos o atendimento encontramos a consulente desdobrada no astral na companhia desse grupo de vampiros, sendo que o líder do grupo nos interpelou e ameaçou quando percebeu nossa presença, mas foi preso juntamente com o restante do bando.  No local onde a consulente trabalha os empregados estavam todos presos e sendo vampirizados no astral, mas nossa equipe os libertou.
     A consulente relutou para sair dessa frequência pois se sentia muito à vontade entre eles, apesar de estar sendo vampirizada, mas teve essa frequência apagada de sua mente e foi reacoplada em seu corpo físico.
     Para poder manter a consulente nessa frequência, que era de uma vibração muito baixa, os vampiros a ligaram a um outro grupo de espíritos, do tipo góticos; pessoas todas vestidas de preto com ares sombrios, estilo dark. Nesse outro grupo a consulente mantinha um relacionamento amoroso com um dos espíritos. Através das relações sexuais o tal amante gótico da consulente lhe retirava muita energia sexual, o que fazia com que ela não se interessasse tanto em manter um relacionamento amoroso aqui no plano físico, por não sentir falta, uma vez que gastava toda sua energia sexual com esse espírito.
     Mais uma vez a consulente relutou em deixar essa frequência, aliás ela aparentava um certo grau um tanto elevado de consciência nesse estado de desdobramento, onde imaginava estar mantendo um romance com o tal espírito. Possivelmente até estava, mas como ela nos procurou justamente por estar se sentindo um pouco incomodada por ter quase 30 anos e nunca ter namorado ou mantido relações sexuais com outra pessoa, apesar de ser uma mulher atraente e educada, nós a retiramos dessa frequência e prendemos os góticos. Descobrimos inclusive que ela já tentou se aproximar de alguns homens aqui no plano físico mas o tal espírito gótico sempre dava um jeito de afastá-la deles.
     A consulente afirmou que costuma frequentar um centro que ela diz ser de Umbanda, para tomar passes e se aconselhar, mas o que vimos foi que o grupo de vampiros ao qual ela estava ligada tbm frequenta o tal centro, vampirizando os frequentadores e médiuns do local.
     Uma estratégia que os seres das trevas utilizam com frequência é a manipulação das mentes das pessoas encarnadas através da mídia, como cinema, televisão, livros, games, etc., onde os produtos relacionados a vampiros estão sempre em destaque.
     Os vampiros reais que vivem na dimensão astral influenciam e inspiram escritores, diretores e produtores de filmes para que as imagens nos filmes sejam muito parecidas com o que eles querem, para que a mente das pessoas ao assistir um filme ou ler um livro plasmem no astral essas imagens, que os vampiros utilizam. Assim eles criam verdadeiros parques temáticos com a energia de nós encarnados onde acabamos indo em desdobramento.
     Imaginem a força gerada pela mente de milhões de pessoas ao assistir no cinema os filmes da saga Crepúsculo, onde jovens moças adolescentes desejam ser a "Bela" e os jovens rapazes desejam ser ou vampiro ou lobisomem. A massificação dessas imagens faz tbm com que acabemos achando tudo isso normal, matar, tirar o sangue, etc.
     As estórias dos filmes são criadas de modo a fazer com que as mentes fracas que os assistem desejem ser vampiros pq o personagem não faz nada, vive pra sempre e ainda é colocado como o "mocinho" da trama. Os filmes passam a ideia de que viver para sempre, poder voar por ai, ter superpoderes, em troca da vida e sangue de outro ser humano, é uma coisa perfeitamente aceitável e normal, quando na verdade mascaram o que realmente são os vampiros, seres das trevas, parasitas energéticos que um dia terão que prestar contas dos seus atos perante a lei.

   
Gelson Celistre

3 comentários:

  1. OLÁ, ANDEI LENDO OS SEUS TEXTOS E TENHO UMA CURIOSIDADE...COMO É POSSIVEL MANTER OS ESPIRITOS ENCARNADOS PRESOS NO ASTRAL??? E COMO FICA O CORPO ENQUANTO ISSO???

    ResponderExcluir
  2. Se a pessoa ficar muito tempo presa no astral, aqui no físico ela pode sentir muito cansaço, sono, apatia, etc., e até em função da perda de vitalidade adquirir alguma doença. Entretanto, os vampiros experientes tiram apenas um pouco de energia de cada pessoa presa para que esses sintomas demorem muito a aparecer.
    É o desdobramento que possibilita isso, leia minha apostila que vai entender.

    ResponderExcluir
  3. Lembro-me uma vez de uma sonho,estava em um quarto que possuia uma luz bem fraca,parecia uma casa antiga,estava deitada na cama,vestia um vestido branco bonito e tinha cabelos pretos. Estava dormindo, porém ouvi um barulho e acordei, quando me virei vi um homem, era alto,vestia uma capa preta e estava do meu lado na cama, numa questão de segundos ele mordeu meu pescoço,e eu fiquei sem reação, não conseguia gritar e sentia um certo prazer, parecia gostar dele ou da situação. Acordei ainda sentindo a dor no pescoço.

    ResponderExcluir