quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Depressão crônica

     A depressão é um mal cada vez mais comum e que atinge homens e mulheres indistintamente, bem como crianças e idosos, sendo um dos farores que levam as pessoas aos vícios (drogas, álcool, etc.) e ao suicídio.
     A consulente segundo nos informou, encontra-se em um estado de depressão crônica desde a época de seu casamento, quando tinha 20 anos de idade (atualmente está na faixa dos 40). Faz tratamento há vários anos com psiquiatra e já tomou vários medicamentos para tratar a depressão, atualmente está tomando um remédio à base de oxcabazepina, um derivado da carbamazepina, ambos anticonvulsivantes (o nome comercial é trileptal).
      Inicialmente foi percebido ao lado dela um espírito masculino muito possessivo, qua já havia sido pai dela em duas outras encarnações onde ela veio a se suicidar. Ele inclusive abusava sexualmente dela nessas vidas passadas. Em uma dessas vidas sua família estava passando por enormes dificuldades financeiras e a obrigou a casar com um homem abastado por dinheiro. Ela se matou vestida de noiva, pouco antes do casamento, pq era apaixonada por um outro homem.

     Este evento era uma das causas principais de sua depressão (que começou justamente quando ela se casou na vida atual) pq atualmente o irmão e o pai dela são os mesmos daquelas vidas passadas. Na vida em que ela se matou vestidade noiva o irmão fiocu muito indignado pois o casamento os livraria da falência. A ocorrência do casamento nesta vida ativou uma ressonância de vida passada e ela se ligou vibratoriamente àquela situação antes vivida.

     Para agravar o quadro, o pai veio a falecer alguns anos depois e, no astral, permaneceu junto da família. Ocorre que o homem do qual ela gostava naquela vida em que se matou, está desencarnado e a depressão crônica da consulente associada à frequência daquela vida passada a fazia desdobrar-se e ir se encontrar com esse homem do qual ela gostava. O pai desencarnado estando ligado a ela energeticamente sentindo isso tbm entrou naquela frequência e assumiu a personalidade que tinha naquela vida, quando abusava dela e era muito possessivo. Foi necessário retirar ambos os espíritos, o pai e o antigo amor, que foram levados para tratamento em nosso hospital na dimensão astral.

     Fora isso ainda captamos outra vida passada onde a consulente era um bruxa itinerante, que vagava entre aldeias e pequenas cidades, vendendo elixires e poções para diversos fins. Entretanto, ela enganava as pessoas vendendo um elixir que recomendava beberem antes de dormir para terem um bom sono. Esse elixir era um forte narcótico e as pessoas que o bebiam adormeciam profundamente.
A bruxa aproveitava o entorpecimento para invadir as residências das vítimas e lhes roubar tudo que fosse de valor. Ocorreu que ela aplicou este golpe em um fidalgo e se deu mal. Ele tendo percebido que fora roubado deduziu que fora obra do elixir e saíram em perseguição à bruxa. Embora a tenham encontrado, não foram localizados os objetos furtados, taças de ouro, talheress de prata, etc., mas ela acabou morta por enforcamento.

     Junto dela estava o espírito do tal fidalgo, querendo a todo custo que ela lhe devolvesse os objetos furtados. De nada adiantou argumentar com a criatura que na dimensão onde ele estava os objetos seriam inúteis, mas ela argmentava que poderia 'esconder' e depois que nascer de novo poderia os recolher. Descobrimos que a bruxa havia enterrados os objetos embaixo de uma árvore e que, atualmente, embora a tal árvore nem exista mais, os objetos ainda se encontram lá enterrados. Levamos o tal espírito até os objetos para ele se convencer de que não os cosneguiria manusear, ele ainda argumentou que ele iria se lembrar do local e que na próxima encarnação ele os encontraria. Estava obcecado e ficou muito triste quando lhe dissemos que ao reencarnar ele esqueceria tudo. Este tipo de situação é comum entre pessoas avarentas e muito materialistas, que morrem e não conseguem se afastar daquilo que consideram seus 'bens'. Foi levado para tratamento.

     Outra situação que estava ocorrendo com a consulente era que ela se desdobrava e ia para um bordel no baixo astral, onde foi acolhida num dos períodos inter-vidas físicas após ter se suicidado. Neste local ela ficava presa numa caixa escura, encolhida, enquanto seus fluídos eram sugados por um processo de vampirização. Assim como ela várias outras mulheres se encontravam nessa situação. Foram todas libertadas, a responsável pelo local foi presa e o local destruído.

     Os médiuns não haviam captado mais nada mas como ela havia dito que tomava remédios para depressão, pedi a eles que sintonizassem com essa faixa de frequência da consulente, o remédio, pois sabíamos por experiências anteriores que estas drogas na verdade são produto de mentes malignas do submundo e que provocam males terríveis. Assim que entraram na frequência a consulente foi vista num laboratório dentro de um tubo transparente, em pé, em estado de suspensão, de onde saíam vários canos que sugavam as energias da consulente. Tbm havia várias outras pessoas encarnadas nesse laboratório, em igual situação, todas usuárias deste 'remédio' para depressão (trileptal). Nossa equipe espiritual se encaminhou de retirar os corpos desdobrados dali e os encaminhar ao corpo físico, após uma desintoxicação.

     Os seres que trabalhavam no laboratório se irritaram, um deles até incorporou para reclamar de nossa 'interferência', mas os deixei conversando com a equipe do astral, a quem sugeri que aplicassem neles mesmos o próprio remédio, o que bastou para se apavorarem. Este laboratório trevoso estava ligado diretamente ao consultório do psiquiatra que receitou o remédio à consulente. Resolvemos desdobrá-lo e mostrar a ele o que acontecia com as pacientes a quem ele receitava esta droga, reforçando para que ao voltar ao corpo físico fique nele a impressão de que o remédio faz mal e que ele se interesse em pesquisar os efeitos do uso prolongado dos componentes da fórmula do tal remédio.

     A situação da consulente vai ser alivida devido à retirada do pai, do namorado e do fidalgo e pela desintoxicação do corpo astral. Mas devido ao prolongado tempo em que viveu nesta situação, e ao próprio karma dela, vai necessitar de muita força de vontade para mudar seu padrão mental, fator indispensável para a mudança de seu padrão vibratório.


Gelson Celistre.

3 comentários:

  1. Olá Gelson,

    Ja trabalhei alguns meses em um CAP (centro de apoio psico-social). E pelo que eu percebi lá é que tds os medicamentos em vez de curar viciam. Os pacientes não tem alta, e quando tem é só questão de tempo para que voltem. Detalhe, os psiquiatras parecem ser mais loucos do que os proprios pacientes, grande maioria desequilibrados. Os funcionários de lá igualmente, muitos deles tmb viciados em alguns remédios tarja preta. Resumindo, desequilibrio total, aqueles que eram pra reequilibrar os desequilibrados são tão ou talvez mais desequilibrado do que os proprios.
    Um dia desses vi um documentário que falava da farsa da psiquiatria que nada cura. alguns psiquiatras se interam, para provar isso, falaram alguns sintomas sem estaram com eles e foram internados. Quando quiseram sair foram impedidos, sendo que a unica foram de que eles conseguiram alta foi fingindo que estavam realmente loucos.rsrs.

    ResponderExcluir
  2. Gelson,
    Li atentamente algum de seus artigos sobre apometria e mediunidade. Como me considero espírita mas ligado de certa forma aos Mestres dos Sete Raios e outros assuntos muito vigentes atualmente, não vou negar que fiquei preocupado(quase assutado) com tuas informaçõee. Nunca me moveu a vaidade embora me vigie mas sempre busco a verdade.Pelo que falas tudo sobre os Ascencionados é uma estratégia das trevas. Se tudo é um embuste como ajudar a humanidade? Entendo a lei do karma mas a doutrina espírita só basta pois há centros espíritas que até nem sempre saio bem. Prefiro mais ler sobre os grandes espíritos que encarnaram um dia na Terra. Abraço

    ResponderExcluir
  3. Oi Luiz,

    Não se ajuda um aluno fazendo a prova por ele. O que a humanidade está passando faz parte do processo normal de aprendizagem em mundos primitivos omo o nosso. Saber distinguir entre a verdade e a mentira não é fácil mas aos poucos vamos aprendendo e evoluindo.
    Abraço.

    ResponderExcluir