terça-feira, 7 de maio de 2019

O estrategista

     
     Atendemos uma mulher com problemas que têm se tornado até muito comuns atualmente, possui formação mas não consegue trabalhar na área, desempregada há alguns anos, mora com a mãe, solteira, sem filhos, sem irmãos, vivendo a vida num marasmo, sentindo uma infelicidade generalizadae quase em estado de depressão.




     Ao sintonizar com a consulente foram vistas várias vidas, fosse homem ou mulher, onde ela se empenhava muito em atuar como estrategista, inclusive na vida anterior a essa foi nazista e um dos idealizadores das câmaras de gás para extermínio dos judeus.  Em outra vida foi uma espécie de rainha ou imperatriz que se comprazia não só em vencer um povo numa guerra, mas em causar destruição e desgosto nas pessoas. E ainda houve outras vidas onde ela ela se empenhava em ser conselheiro em guerras e conflitos.
    Inclusive na dimensão astral ela atuava em desdobramento junto a grupos de espíritos ligados a pessoas encarnadas, propondo soluções para que esse grupos conseguissem obter sucesso em seus planos de dominação. E algo que também não é incomum para nós é que os problemas dos quais ela reclama foram causados por ela mesma. Uma parte da consciência dela que atua na dimensão astral, em desdobramento, tem essa obsessão em vencer, em aniquilar os inimigos, em causar-lhes os maiores danos possíveis.
     Essa parte da consciência da consulente tinha um objetivo bem definido de se tornar cada vez melhor como estrategista e para tanto não queria perder tempo com as coisas desse mundo, como família, filhos, prazer, carreira de sucesso, enfim, qualquer coisa que pudesse lhe reter a atenção aqui no mundo físico e que fizesse com que ele gostasse de viver estava fora de seus planos. Para concretizar isso ele mesmo no astral boicotava seus relacionamentos amorosos e profissionais, a fim de que não se envolvesse com nada que pudesse lhe criar o desejo de viver.
     Buscando a origem dessa obsessão encontramos uma vida em que o consulente era um rico fazendeiro, uma pessoa de bom coração, e que ajudava a todos que lhe pediam ajuda. Um fazendeiro rival, interessado em seus bens, organizou um jantar e o convidou, e ele sem nada desconfiar compereceu ao evento. Dias depois ao ajudar alguns homens que aportaram em suas terras pedindo por auxílio, ele descobriu da pior maneira que se tratava de bandidos contratados por seu vizinho que lhe oferecera o jantar, que ele descobriu depois era uma estratégia para lhe extrair informações sobre sua rotina e facilitar o assalto.
     Os bandidos mataram toda a família do fazendeiro e ainda o obrigaram a assinar um documento como se tivesse vendido suas propriedades ao outro, antes de ser morto. Depois de morto esse fazendeiro se sentiu muito injustiçado, pois ele era uma pessoa boa e honesta, e foi covardemente roubado e morto por bandidos contratados por seu vizinho. Decidiu para si mesmo que nunca mais passaria por esse tipo de situação e esse era um dos motivos para que em vidas futuras, inclusive a atual, ele não consiga se envolver por muito tempo com alguém, para que não viesse a sofrer com uma possível perda. E esse era o motivo de querer ser um bom estrategista, para que nunca fosse enganado e derrotado, pois se ele tivesse desconfiado da estratégia de seu vizinho não teria perdido tudo.
      Uma situação muito difícil pela qual esse espírito passou lhe criou um trauma que influenciou todas as suas vidas futuras, fazendo com que ele se auto sabotasse ou boicotasse em vários aspectos da sua existência. Nesse caso, além de fechar as frequências e resgatar os espíritos envolvidos, fizemos essa consciência desdobrada da consulente ver porque motivo ela sofreu aquele revés naquela vida de fazendeiro.
     Foi mostrado ao espírito uma vida anterior onde ele era um tipo de caixeiro viajante, um cara bom de lábia, que enganou muitas pessoas, levando famílias inteiras à miséria. Muitos pais de família mataram a família e cometeram suicídio após a ruína inclusive. Em um dos golpes que ele aplicou, ele vendeu um veneno muito forte em uma cidadezinha afirmando se tratar de um remédio milagroso que deveria ser posto na água para que todos bebessem, o que causou uma enorme desvastação no local, levando à morte praticamente a cidade toda, inclusive animais como cavalos e o gado. Depois que ele viu a causa do sofrimento que passou na vida de fazendeiro apagamos sua mente.
     Vimos nesse caso que a autosabotagem pode ter raízes muito antigas em nossa psiquê e que essa dicotomia entre a consciência física e a espiritual pode nos causar muito sofrimento e que uma decisão tomada em momento de estresse pode nos causar problemas e sofrimento por várias vidas. É comum quando a pessoa tem várias frequências abertas e muito ativas na dimensão astral não ter muito interesse pela vida aqui na matéria e também é comum que frequências ativas no astral sabotem a si mesmo aqui no físico para se manter indefinidamente no astral.

Gelson Celistre

2 comentários:

  1. Sabe Gelson tenho 29 anos e desde criança era levado pela minha mãe a igreja evangélica, então demorou pra eu transpor a barreira de preconceito que me foi ensinado sobre assuntos de espiritualidade.Aos 11 anos quando sozinho já ouvi vozes me chamando mas isso era raro,lembro de numa manhã acordar e eu estava flutuando no quarto fora do corpo e tinha um cachorro preto lá que não parava de latir nesse época ainda não tinha ouvido falar sobre projeção astral em outra ocasião ,eu era um menino bastante atentado e lembro de que consegui me projetar pra onde minha prima estava dormindo em outra casa a alguns metros da minha e vi ela dormindo e quando tentei toca -la ela se mexeu. Depois disso não tive mais esses sonhos fora do corpo. Meu pai era caminhoneiro, bebia muito e era bipolar as vezes chegava muito amoroso com minha mãe e meu irmão outras vezes chegava agredindo minha mãe.Quando jovem eu o odiava mas hoje me arrependo disso porque ele teve uma infância muito difícil,venceu um câncer no estômago mas alguns anos depois aos 64 anos teve um infarto e morreu dormindo, lembro que em casa enquanto eram os preparativos para o enterro minha mãe eu e irmão estávamos indiferentes com o acontecido devido as ruindades que ele fazia, mas lembro de ver o espírito do meu pai na garagem lá de casa ,como eu não estava abalado nem sequer tinha derramado lágrima aquilo não podia ser uma ilusão,aliás somente a nossa cadela chorou a noite toda no dia que meu pai faleceu. Aos 25 fui convidado por umamigo a uma reunião onde se tomava o chá do santo daime, na primeira e segunda vez não aconteceu nada demais ,mas a terceira eu entrei em transe e vi o que parecia ser o inferno com muitas pessoas aprisionadas lá e no alto estavam poucas pessoas com vestes brancas, abri os olhos pra não ver mais aquilo mas uma gritaria na minha cabeça e fechei os olhos e vi um monte de espíritos zombando de mim rindo mostrando a língua , e atrás deles um ser de pele negra como se fosse feito de graxa gengivas expostas e dentes pontiagudos apontava o dedo pra mim. Fiquei apavorado e não queria mais fechar os olhos e ver aquilo afinal pra mim aquilo era uma confirmação de que o inferno existia como pregavam na igreja. Fui pra casa e não voltei mais lá,mas por coincidência ou não fiz uma viagem pra São Paulo ia disputar um campeonato de jiu-jitsu e de manhã fui correr avistei no centro um andarilho com o semblante muito estranho ,como explicar? Uma cara de poucos amigos, de alguém anti social ,parece que ele já tinha matado ele emanava uma negatividade visível que ninguém passava perto dele, e nem ele olhava pra ninguém parecia uma fera puxando seu carrinho de reciclagem e ignorando os demais,enquanto eu observava aquele personagen notei que nas suas costas tinha uma tatuagem mão feita de cadeia ,de uma criatura negra com as mesmas características da que eu vi quando entrei em transe com o daime. Aquilo não podia ser coincidência. Todos os círculos sócias que frequentei fico amigo de todos mas sempre acabo desaparecendo e nunca mais voltando , faculdade, trabalho,nas artes marciais que eu gostava tanto,alguns falam que eu sou falso e dissimulado mas eu não me vejo assim ,mas também não sei o que acontece eu sempre dou um jeito de afastar as pessoas de mim era o que minha ex namorada me dizia. Gostaria de um conselho uma direção se devo buscar ajuda em algum centro kardecista procurar respostas ou deixar pra lá e seguir adianta com meus objetivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcelo, marque uma consulta online que te orientaremos.

      Abraço.

      Excluir