sábado, 31 de março de 2018

Distúrbio de Déficit de Atenção e Hiperatividade (DDAH ou TDAH)

     O consulente nos procurou com os seguintes problemas: 

     "Busco auxílio, pois sou uma pessoa muito complicada, não consigo ver soluções positivas, faço tratamento para pânico/ansiedade, déficit de atenção desde criança e antes de começar o tratamento com remédios estava agressivo com meus familiares e minha namorada, o remédio ajuda a controlar, mas não queria depender de remédios. Nunca me senti uma pessoa normal, não consigo ter foco em nada, não defini minha carreira profissional ainda, não terminei meus estudos, acho dificuldade em tudo; tenho medo de tudo. Não sou uma pessoa de atitude, sou retraído e até antissocial. Tenho dificuldades para dormir à noite, acordo sempre cansado e desanimado, não tenho vontade de fazer nada! Não me sinto bem assim, queria ser normal, pois me sinto diferente dos outros. Meus pais tem negócio próprio onde eu poderia seguir, mas não me sinto em condições e não ajudo em nada.  Será que posso ser ajudado?"


     Costumamos fazer uma anamnese com o consulente para tentar identificar algum gatilho que tenha "disparado" o problema principal e conforme o consulente vai falando sintonizamos com ele e as imagens vão surgindo para os médiuns e vou intuindo do que se trata. Tanto eu como os médiuns percebemos que havia algo relacionado a abuso sexual na infância. Em muitos desses casos as pessoas que sofreram o abuso não lembram. Quando foi um abuso traumático a mente bloqueia as lembranças e quando foi um abuso onde a criança foi seduzida e que não foi traumático ela esquece como esquece outras coisas. 
     Nesse caso o consulente não chegou a ser abusado, mas presenciou uma cena de abuso e esse foi o gatilho para a síndrome do pânico pois o abusador é pessoa de seu convívio familiar e em outras vidas já abusou dele. Quando o consulente presenciou a cena abriram-se três frequências onde ele sofreu abuso de forma traumática em outras vidas e ele intimamente tinha a convicção de que aconteceria com ele novamente. 
     Mas com três vidas sendo vítima de abuso é evidente que antes disso ele cometeu abusos de forma muito intensa e pedi aos médiuns que procurassem por vidas anteriores onde ele gerou esse karma. Em uma vida passada o consulente foi um tipo de pioneiro que se aventurou por regiões povoadas por indígenas. Era um sujeito muito ambicioso e mau. Antes de partir em sua jornada ele estuprou a irmã, e como a mãe acabou vendo, ele matou as duas.
     Encontrou uma tribo indígena e fez um primeiro contato; ganhou a confiança dos indígenas e os traiu, facilitando a invasão da tribo por homens a seu comando, que cometeram todo tipo de atrocidade, como estupro de mulheres e crianças e assassinato e tortura dos homens. Ele próprio, apenas para mostrar que ele é quem mandava em tudo, escolhia algum indígena aleatoriamente e o matava a sangue frio. Uma das coisas que ele gostava de fazer era amarrar braços e pernas dos indígenas em cavalos e fazê-los correr, esquartejando a pessoa cruelmente.
     Aquela tribo estava praticamente toda em frente à minha casa (existe um campo de força ao redor que impede qualquer ser de entrar), inclusive uma das médiuns que chegou atrasada recebeu várias flechadas deles. Esse grupo de espíritos estava acompanhando o consulente por vingança. Retiramos esses espíritos que foram encaminhados para tratamento, pois não eram essencialmente ruins, apenas estavam presos numa situação traumática e reagiram de acordo com seus sentimentos.
     Essas frequências abertas eram a causa principal da síndrome do pânico e ansiedade que ele sente. Com o encaminhamento que demos é provável que diminua consideravelmente ou desapareça, mas vai depender do karma dele e de suas atitudes daqui por diante.
     Mas fora outras frequências abertas onde ele também não fez nada de bom, muito pelo contrário, o consulente tinha uma frequência aberta que era a responsável direta pelo seu déficit de atenção e desinteresse pela vida em geral. Ele foi um cientista e estava trabalhando em um laboratório das trevas, onde fazia todo tipo de experimento genético, tipo implantar uma cabeça de animal num ser humano e vice-versa e outras coisas absurdas. Nesse local ele era muito respeitado, tipo ele era "o cara". Em tudo que ele se propunha a fazer lá ou em tudo que lhe solicitavam fazer ele obtinha sucesso. 
     Ao descobrirmos essa frequência ele ficou possesso. No astral imediatamente se pôs a atacar os médiuns e teve que ser contido. Um recurso frequente que a espiritualidade utiliza para nos mostrar a dimensão das organizações com as quais estamos lidando é projetar o médium no espaço, bem acima da crosta terrestre e lhe mostrar em destaque no mundo todo os locais que fazem parte da organização e ligados a esse laboratório havia dezenas de locais no mundo todo, desde hospitais e clínicas até bordéis especializados em pedofilia e outras coisas mais bizarras.
      O Distúrbio de Déficit de Atenção e Hiperatividade (DDAH ou TDAH) do consulente é uma situação com a qual já nos deparamos em outros atendimentos, onde o espírito possui várias frequências abertas, mas geralmente tem uma principal, onde ele gosta muito de estar. Geralmente nessa frequência ele é muito inteligente e faz algo que lhe dá muito prazer. Como lá na dimensão astral é muito bom qualquer coisa que ele faça aqui no plano físico é entediante para ele. Além disso, como o corpo físico "puxa" a consciência para si, se ele se envolver com alguma coisa aqui ele acaba saindo daquela frequência, coisa que ele não quer. 
     Essa situação onde o espírito prefere estar na dimensão astral e não aqui no físico é o que geralmente causa o DDAH ou TDAH. Também acontece com espíritos que tinham uma vida muito agitada da qual gostavam muito, na dimensão astral, e são sugados para uma nova existência carnal a contragosto. Eles guardam reminiscências na memória das coisas que faziam e que gostavam e quando se deparam com a realidade terrestre onde se tem que fazer coisas das quais não necessariamente se gosta, mas por necessidade, a mente deles fica o tempo todo como se fosse um radar buscando alguma "novidade", algo que lhes faça sentir prazer em realizar.
     Por exemplo, um espírito feminino que vivia num bordel no astral, onde era empoderada. De repente sua consciência se vê encarnada num corpo infantil cheio de necessidades e limitações que ela não tinha e que não quer ter. Ela quer fazer coisas incompatíveis com sua condição e isso gera uma espécie de revolta e desinteresse pelo "aqui agora" e faz com que o espírito se desdobre e tente voltar para onde estava. Em muitos casos ele consegue e ocorre como com o consulente mas em outros casos ele não encontra o local onde estava ou não consegue abrir completamente a frequência em que estava e o espírito fica meio que vagando, buscando algo que nem ele sabe direito o que é.
     Nesses casos informamos a pessoa que depende de um grande esforço dela tentar encontrar alguma coisa na sua vida que lhe interesse para evitar que sua mente fique vagando por aí abrindo frequências ou fazendo coisa errada nas que já estiverem abertas. Mas por ser uma condição que surge em função de karma e que acomete espíritos que já tem algum desenvolvimento mental acima da média, é também uma espécie de punição para que ele não consiga usar seu potencial mental de forma a prejudicar outras pessoas, semelhante ao autismo, pode amenizar mas curar totalmente é difícil.

Gelson Celistre

     

Nenhum comentário:

Postar um comentário