terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Fuga para a felicidade

     O consulente, um homem de cerca de trinta anos e que mora com a mãe e a irmã alguns anos mais nova, relata que sua vida desandou a alguns meses com muitas brigas na família e que resultou na perda de um emprego onde estava há cerca de três anos, além disso conforme ele: "..sem falar no sentimento de estar sempre vigiado, preso, sonhos ruins, sentimento de querer tirar a vida, dor de cabeça também... hoje estou desempregado briguei com a namorada.... mas o que me incomoda é o sentimento de tirar a vida coisa que eu nunca tive e sinto que não é minha vontade mas parece que tem alguém falando ao meu ouvido."



     Conversando com ele descobrimos que o problema começou quando ele iniciou um relacionamento com uma mulher mais velha e que já tinha um filho. Sua mãe não aprovou o relacionamento e as brigas começaram. A mãe dele foi se consultar num terreiro e disseram que a tal mulher tinha feito um "trabalho" para seu filho e que teria que fazer outro para desfazer, e a mesma coisa foi dita para a tal mulher em outro terreiro. 
     Por conta dos trabalhos que a mãe e a namorada fizeram, ao redor dele haviam várias entidades ligadas a esses trabalhos e terreiros que o deixavam perturbado. Mas isso não era tudo, pois havia uma outra entidade no astral que queria se vingar do homem.
     Em uma vida passada esse homem era um jovem homossexual que se envolveu com outro homem um pouco mais velho. Estavam apaixonados e sonhavam em fugir juntos, pois o jovem era de "família tradicional" que não aceitaria esse comportamento do filho. O outro homem mais velho juntou uma quantia considerável de dinheiro e então eles marcaram a data para sua fuga para a felicidade.
     Mas o jovem era meio inconstante emocionalmente e não tinha um caráter muito bom, ficou com medo de fugir com o amante e contou à sua família que o outro o estava ameaçando a fugir com ele e que ele mesmo não queria, então no dia e horário marcados, o amante do jovem foi preso e espancado até a morte. O jovem acabou casando com uma moça para parecer um homem de família, e usava o dinheiro do amante morto para se divertir secretamente com outros homens. O espírito do amante morto ficou perto dele após a morte e acabou com um sentimento de mágoa e ódio ao mesmo tempo, pois apesar de amar o jovem foi covardemente traído por ele.
     Mas eis que o tempo passa e na vida atual, o amante, que encontra-se desencarnado, foi atraído para junto de seu jovem amor. Acontece que a mãe do homem nesta vida é a mesma daquela vida, e a mulher mais velha com quem ele se envolveu é a mesma com quem casou na outra vida. As energias e sentimentos envolvidos "abriram a frequência" daquela vida e o amante viu uma chance de se vingar. Com intrigas influenciando os colegas e chefia do homem, conseguiu fazer ele perder o emprego e fomentar as brigas em família também. Mas apesar de estar com raiva, o espírito do amante vingativo se encontrava com o homem no astral (desdobrado) e mantinham uma relação meio tumultuada, tipo entre tapas e beijos. 
     Este espírito foi retirado de perto do rapaz e foi encaminhado por nossa equipe para receber auxílio e os espíritos ligados aos trabalhos de macumba também foram retirados e os trabalhos desfeitos. 
     Naquela vida o jovem não teve coragem de assumir sua condição sexual e enganou e causou a morte de seu amante. Sua fuga com seu amante naquela vida, se tivesse ocorrido, talvez não o levasse à felicidade, mas a fuga para a felicidade que ele fez sozinho, ocultando sua própria conduta e condenando seu amante à morte, certamente não o levou.
     Mudam os tempos e os corpos, mas os sentimentos que carregamos promovem o reencontro com nossos devedores. Nossos erros do passado em algum momento do presente ou do futuro vão cobrar de nós sua correção. 

Gelson Celistre
     


Nenhum comentário:

Postar um comentário