quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Sintonia por proximidade geográfica

     A consulente, brasileira residente nos Estados Unidos à cerca de um ano, relata que desde que chegou lá sua saúde ficou péssima, com constantes dores de cabeça, estômago, intestino, útero, ovários, extrema dor nas pernas; está com dificuldades em aprender o idioma, sente-se exausta, desanimada e sem forças todos os dias.
     Ao verificarmos a situação encontramos a consulente com três frequências abertas: 

     1ª) Guerra Civil


     A consulente foi um oficial comandante na Guerra Civil americana e era muito cruel com os prisioneiros, tendo torturado e mutilado muitos deles, o que levou vários ao óbito. Dentre suas práticas prediletas estava cortar a língua para que não pudessem falar nada caso fugissem e também cortar as pontas dos dedos para que não pudessem escrever. 


      Vários deles ainda estavam desencarnados e "encontraram" a consulente quando ela se mudou para os EUA, pois estavam energeticamente ligados ao local no plano físico onde ocorreram os fatos em vida passada. Já nos deparamos com vários casos semelhantes a esse e o que ocorre é que um bolsão de espíritos ligados a locais no físico se conectam com alguma pessoa que conviveu com eles por "proximidade geográfica", ou seja, a sintonia da consulente se deu porque ela foi para o mesmo local onde viveu em vida passada e ao qual estes espíritos estavam ligados.
     Como ela está karmicamente ligada a eles por ter provocado a morte de muitos deles, ao se conectar houve a abertura da frequência, ela passou a ser obsidiada por eles e a sentir em seu próprio corpo, por efeito reflexo, o que eles sentiam. Resgatamos todos os espíritos e fechamos a frequência. Se o tempo que ela ficou conectada com eles não provocou nenhum dano ao corpo físico as dores que sente devem desaparecer ou minimizar bastante.

2ª) O chantagista

     Em outra frequência a consulente também era homem e residente nos EUA. Esse homem tinha um amigo que tratava as pessoas com hipnose. Entretanto, como eram desonestos, esse hipnólogo aproveitava o estado de transe de seus pacientes, muita gente da alta sociedade, para descobrir segredos pessoais e depois ambos chantageavam a pessoa para que esses segredos não fossem revelados. 
     Isso deu certo por algum tempo mas um dos chantageados abriu o bico e a dupla acabou tendo que fugir para não ser presa. O chantagista, nossa atual consulente, passou muito medo e a fuga foi difícil. Ele acabou fugindo para o Oriente. O hipnólogo estava no astral e tbm encontrou a consulente quando ela se mudou para os EUA, como ele estava meio fraco, abriu essa frequência para se conectar com ela e absorver sua energia. Foi preso e a frequência foi fechada.

3ª) A bruxa

     Nessa frequência  a consulente estava bastante ativa e mantinha presas em gaiolas muitas pessoas, tanto desencarnadas como encarnadas desdobrados, 58 no total, que vampirizava e utilizava para bruxarias. Como na situação da Guerra Civil, por reflexo ela sentia o que esses espíritos presos sentiam. Foram todos libertados e a frequência fechada. Como bruxa inclusive ela tentou atacar a médium que estava lá desdobrada, mas foi presa sem maiores problemas e sua mente foi apagada.
      

     O motivo principal dos problemas da consulente foi sua mudança para os Estados Unidos, pois por "proximidade geográfica" ela abriu frequências de vidas passadas e acabou atraindo para si energias e espíritos ligados a ela karmicamente. Pelo forma como se abriram as frequências, é provável que se ela tivesse ficado em seu país de origem não abriria essas frequências e não estaria passando por isso, apesar de ser possível também abrir as frequências de outras formas.
     As dores e dificuldades devem desaparecer ou pelo menos minimizar bastante mas não se descarta a possibilidade dela abrir outras frequências, principalmente por ter sido bruxa em vida passada.

Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário