segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Meu marido mudou depois que nosso filho nasceu

     É muito comum ouvirmos de consulentes que "meu marido mudou depois que nosso filho nasceu". Fora as situações normais onde o marido fica com ciúmes do filho (inconscientemente), pois a criança monopoliza a atenção da mãe, e isso acaba gerando uma carência afetiva/sexual, uma situação com a qual nos deparamos com frequência é a de espíritos desafetos se reencontrando nesta vida como pais e filhos.

A paternidade/maternidade frequentemente é uma ocasião de
ajustes cármicos entre espíritos desafetos (resgates), onde a Lei do
Karma utiliza o amor paterno/materno para amenizar sentimentos negativos.
     No caso dessa consulente, após vários anos de namoro/casamento, o casal resolveu ter um filho. Entretanto, mesmo sendo desejado pelos dois, após o nascimento da criança, um menino, a consulente relata que seu marido se modificou, as brigas ocorrem com mais frequência entre o casal e ele passou a ter depressão e pensamentos suicidas, alem de tratar mal a criança que tem poucos anos de idade.
     Vimos que numa vida passada o casal e seu filho tiveram uma relação tumultuada. Naquela vida a esposa e o filho eram mulheres e o marido era homem, todos na mesma faixa etária e de famílias amigas de alta posição social. O trio se conhecia e brincavam juntos desde pequenos. As duas meninas, que hoje são a consulente e seu filho, perceberam ainda na infância que o jeito de seu amiguinho não era igual ao dos outros meninos, pois ele era homossexual.
     Apesar de serem de famílias de posse, as meninas eram ambiciosas e chantageavam o amiguinho para que lhes fizesse favores ou lhes desse dinheiro ameaçando contar aos pais dele suas preferências sexuais. O trio de "amigos" cresceu e na adolescência, quando tinham por volta dos 16 anos, houve um desentendimento entre eles.
     As duas jovens então arquitetaram um plano onde facilitaram o encontro do jovem gay com outro homem, de modo que os pais dele o surpreendessem durante o ato. Para piorar a situação este outro homem era um senhor mais velho, amigo do pai do jovem. O plano deu certo e de fato o casal surpreendeu o filho com o amigo do pai fazendo sexo e a situação acabou em tragédia.
     O pai do jovem matou o amigo e o castigo que impuseram ao filho foi trancafiá-lo num quarto, isolado, mas não antes do pai castrá-lo. O jovem veio a morrer pouco tempo depois devido à infecção causada pela castração, que foi feita de modo violento, pois o pai simplesmente pegou uma faca e cortou o membro do rapaz, pois, já que ele não era homem não precisava daquilo.
     Então a vida passa, as pessoas morrem e renascem e, algumas vidas depois, se reencontram novamente. Neste caso o jovem gay que foi traído pelas "amigas" e agredido covardemente pelo próprio pai, acabou se casando com uma delas e recebendo a outra como filho. 
     Esse trio de espíritos já teve vários outros encontros em outras vidas onde um aprontava algo de ruim para o outro, às vezes se davam bem durante um tempo, enfim, já viveram várias situações onde se relacionaram de diversas maneiras. Quando a criança nasceu, abriu a frequência dessa vida específica onde o pai sofreu muito por causa das "amigas". 
     Nestas situações, como as energias envolvidas eram muito fortes, pois houve muito sofrimento, os sentimentos daquela vida se sobrepõe à vida atual e mesmo sem saber de nada, o pai passou a sentir uma aversão pela criança e pela esposa, a consulente, pois passou a sentir neles a índole ruim que tinham na outra vida. Ele estava revivendo todos os sentimentos daquela vida passada na vida atual.
     Como naquela vida o rapaz era homossexual, a abertura dessa frequência agora onde ele é casado com uma mulher, pode inclusive ter lhe trazido pensamentos de se relacionar com homens, o que pode ser um dos motivos dele estar depressivo e com pensamentos suicidas. 
     O que se pode fazer nesses casos é fechar a frequência e apagar da mente subconsciente deles essas lembranças. Porém, como se trata de espíritos resgatando situações cármicas, é preciso que os sentimentos entre eles se modifiquem, pois não podemos alterar o que um sente pelo outro. Podemos amenizar a situação fechando a frequência mas os sentimentos que os envolvem precisam ser trabalhados por eles e entre eles.
     A Lei do Karma visa o equilíbrio energético e se existe um sentimento negativo entre duas ou mais pessoas, elas serão atraídas mutuamente para que as energias que as envolvem se harmonizem. 

Gelson Celistre
   
       
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário