sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Mestre Reiki Extraterrestre

México - 1969

     Uma nave interplanetária cai no México devido a uma pane e seu único ocupante, um extraterrestre insectóide parecendo um gafanhoto marrom com cerca de dois metros de altura, morre na queda.

Brasil - 2014

     Durante um trabalho espiritual encontramos esse mesmo ET insectóide vivendo na nossa dimensão astral, 45 anos após a morte de seu corpo físico, junto a um mestre de reiki.



     Para quem não leu nossos vários posts sobre o reiki, onde esclarecemos que entidades das trevas, espíritos ruins, se aproveitam da ingnorância e vaidade das pessoas para lhes sugar as energias, e que esse papo de ser apenas um canal de uma energia divida que cura tudo é uma grande ilusão, pois a enegia que qualquer um de nós doa é a sua própria, absorvida da natureza e processada em nossos chacras, e que na iniciação esses espíritos das trevas marcam o reikiano como os fazendeiros marcam o gado, para que outros criadores saibam a quem esse gado pertence, seria proveitoso que lessem esses posts.
     Nosso encontro com etgafanhoto começou com um pedido de auxílio, conforme segue: "Fiz a segunda iniciação do reiki este mês e desde então coisas estranhas têm me acontecido, além do fato de estar me sentindo mal com isso. Busquei no google alguém que tivesse tido uma má experiencia com o reiki e cheguei até o seu blog ... estou precisando muito, sinto que não fiz uma boa coisa me iniciando... eu estou muito preocupada, pq esses dias eu estava em um restaurante e comecei a sentir que alguma coisa ali estava me sugando e fiquei quase desconectada da realidade na hora. Fui levada embora pra casa e ainda demorou umas 2 horas pra voltar ao normal estou muito preocupada, pq nao tenho me sentido bem fisicamente, muito fraca. Foi tudo isso que me fez questionar se aquilo era realmente bom"
Ao sintonizar com a consulente os médiuns viram um lago com uma água escura e pedras negras, e dentro desse lago várias pessoas encarnadas desdobradas. Essas pessoas tinham um um tipo de esponja circular sobre os principais chacras, como se fosse um tampão. Essa esponja ficava grudada no corpo astral delas o tempo inteiro absorvendo a energia dos chacras e quando estavam carregados elas eram levadas até esse lago e mergulhadas nele, onde então essas esponjas se soltavam e caíam o fundo do lago. Na verdade elas são levadas regularmente a esse lago, em intervalo de horas, para que seja coletada a energia das esponjas. Quando saíam do lago outra esponja era colocada nelas para continuar a absorver a energia.
Essas pessoas, todas encarnadas, usam uma túnica clara, um pingente no pescoço e uma marca na testa. Calma, não é a marca da besta, é apenas uma marca que o ET fez para marcar seu gado, assim se outro espírito se deparar com alguma delas vagando no astral terá medo de fazer alguma coisa porque sabe que essa pessoa tem dono. Uma dessas pessoas obviamente era a nossa consulente. Quando chegam no lago elas se despem e mergulham nele. O que essas pessoas todas tem em comum é que foram iniciadas em reiki pelo mesmo mestre(a).
O que acontece é que a grande maioria, senão a totalidade, das pessoas que acabam se envolvendo com terapias alternativas e coisas assemelhadas possui algum tipo de mediunidade (que é um efeito de karma negativo) mas acredita que isso é um dom, que tem uma missão e que espiritualmente estão mais "adiantadas" que as demais, estando assim habilitadas a conduzi-las e orientá-las, isso quando não se trata apenas de quem quer ganhar um dinheirinho extra sem muito esforço vendendo ilusões.
Então quando uma pessoa com esse perfil se torna um "mestre reiki" logo algum espírito espertalhão, que também quer conseguir uma energia fácil, se associa espiritualmente com esse mestre e passa a trabalhar com ele, aprisionando as pessoas por ele iniciadas, das quais retira energias vitais para poder se manter no astral sem precisar reencarnar.
No caso em questão o tal ET queria apenas voltar pra casa, seu planeta de origem, e estava armazendo energia pra tentar comprar sua passagem de volta, provavelmente negociando com alguma oganização das trevas, das muitas que existem no astral.
O interessante é que esse gafanhoto não criou o tal lago e as esponjas pois quem extraía energia dessa forma e nesse local era um outro espírito, este terráqueo mesmo, e que trabalhava com o tal mestre(a) reiki. Esse outro espírito foi preso por inimigos dele no astral (ainda está preso por eles) e o local ficou abandonado. O gafanhoto, que observava há tempos o que ocorria ali, simplesmente assumiu o lugar do outro junto ao mestre reiki, que na verdade não tem a mínima noção de que isso ocorre no astral, pelo menos em estado de consciência física, e passou a retirar a energia desses reikianos, tratando logo de marcá-los na testa. Esse antigo dono do local em sua última encarnação aqui na Terra foi um monge tibetano, daqueles que usam os mantos vermelhos, e trabalhava com alguns mestres de reiki antes de ser preso por seus adversários.
Após efetuarmos as desconexões, apagando a marca feita pelo gafanhoto e destruindo os pingentes, apagamos a mente dos reikianos que estavam ali e os reacoplamos em seus corpos. O gafanhoto reagiu, nos atacou, mas foi paralisado e preso. O local foi destruído e não servirá mais para coleta de energia.
Nesse caso o "verdadeiro" mestre reiki era o ET, que era quem realmente iniciava as pessoas. A iniciação nesses casos como do reiki é um ritual que serve para conectar dois seres, o que age por trás do mestre reiki encarnado e o iniciado, que passa a ser "propriedade" do mestre que atua no astral.

Gelson Celistre






Nenhum comentário:

Postar um comentário